A União Europeia está a criar um conjunto de projectos na investigação, para em conjunto com o Japão criarem uma Internet até 5 mil vezes mais rápida.

São vários os projectos a decorrer em que estes dois parceiros desejam colaborar, com o objetivo de renovar e melhorar as infra-estruturas existentes na Internet dos dias de hoje, de forma a que estas redes se tornem as de maior capacidade na transmissão de dados.

Parecem exageradas tais velocidades, mas esta necessidade surge com a finalidade de responder a um crescimento cada vez maior na transmissão de dados digitais e com previsões que apontam para um aumento cada vez mais significativo. Não só o número de pessoas a utilizar a Internet é maior, mas também as transmissões exigem cada vez mais das estruturas existentes, com o aparecimento, por exemplo, dos vídeos de maior qualidade, as chamadas telefónicas usando imagem, entre tantas outras utilizações. Como curiosidade, em apenas um ano, entre o início de 2012 e o início de 2013, o volume de tráfego de Internet duplicou!

 

velocidade-de-internet

 

Artigos que poderão ser do seu interesse

 

O financiamento de vários milhões de euros servirá não só para as estruturas propriamente ditas, mas também para estudar a segurança da rede, a eficiência energética, a capacidade de resposta e a quantidade de tráfego de dados.

Entre os vários projectos podemos destacar o Strauss, que terá como objetivo criar as condições suficientes para o desenvolvimento de redes de Internet estáveis e com capacidades de transmissão de 100 Gbps (Gigabits por segundo – não confundir com Gigabytes por segundo), um número cerca de 5000 vezes maior que as velocidades médias existentes na Europa.

Os restantes projetos estarão encarregues da segurança (projeto NECOMA), de melhorar as frequências de rádio utilizadas para as redes móveis (projeto MiWEBA), da gestão o mais eficiente possível da energia nas comunicações (projeto GreenICN) e o projeto ClouT, que estuda os conceitos de cloud computing (navegação em núvem), tão utilizada nos dias de hoje, bem como a utilização de sensores que recebem e enviam informações em tempo real.

 

Sabia que em todo o mundo são transmitidos cerca de 1,7 mil milhões de bytes de informação a cada minuto?