Os cigarros eletrónicos são a nova aposta do mercado direcionado aos fumadores. Têm como objetivo ajudarem a combater um dos grandes vícios da atualidade – o tabaco. Como funcionam? Como se usam? Quais as diferenças entre um cigarro eletrónico e um cigarro normal?

Apesar das consequências que o tabaco trás a longo prazo, nomeadamente, no aumento do número de pessoas que contraem cancro, é um dos produtos mais vendidos no mundo.

Para além de ser prejudicial à saúde, é igualmente penoso para a carteira. Por essa razão os cigarros eletrónicos surgem como uma alternativa mais económica e saudável.

 

Como funcionam os cigarros eletrónicos?

O cigarro eletrónico é um dispositivo atomizador não inflamável, que transforma a nicotina líquida em vapor, aquecendo-a numa câmara atomizadora e permitindo, depois, que seja aspirada pelo fumador.

Esta opção possibilita que o utilizador possa satisfazer o seu desejo momentâneo de nicotina de uma forma mais saudável e segura e, ao mesmo tempo, permite-lhe não estar sujeito a políticas restritivas de fumo em determinados locais.

 

O cigarro electrónico é constituído por cinco componentes:

  • uma lâmpada led indicadora, situada na ponta do cigarro, que acende quando existe uma aspiração;
  • uma bateria, com um microchip e sensores de inalação que permitem detetar a quantidade e a força do ar inalado;
  • um atomizador, responsável por converter o líquido contido no cartucho em vapor, simulando assim o fumo de um cigarro convencional;
  • um microchip regulador e indicador, para controlar a quantidade de nicotina atomatizada e inalada;
  • e um inalador de plástico.

 

Constituição do cigarro eletrónico

 

Como utilizar um cigarro eletrónico?

Para poder fumar um cigarro eletrónico é necessário carregar a bateria através de um cabo USB e demora cerca de 30 minutos até estar pronto para ser utilizado. Depois liga-se o atomizador e o cartucho de nicotina, cujos principais ingredientes são: o propilenoglicol  (ocupa entre 70% a 90% da solução e é responsável por fazer vapor); o aroma  (existem diversos sabores, mas os mais comuns são a tabaco, menta, baunilha ou chocolate) e por último a nicotina (existe a possibilidade de variar os níveis e quantidades de nicotina por cada cigarro. O ideal é ir reduzindo esta percentagem à medida que o tempo passa).

 

Outros artigos que poderá gostar:

- Como funcionam os carros elétricos?
- Curiosidades sobre telefones e telemóveis
- Conheça uma ventoínha sem hélice e super potente
- Como funciona o teste de álcool

 

Quais são as principais diferenças entre o cigarro eletrónico e o cigarro convencional?

  • O cigarro eletrónico não tem alcatrão, nem qualquer substância cancerígena;
  • Não é inflamável, ou seja, está livre de mais de 4000 substâncias químicas, como o monóxido de carbono ou qualquer outro químico prejudicial à saúde;
  • Não é prejudicial às pessoas que estão em torno de um fumador de cigarro eletrónico;
  • É seguro, não provoca incêndios;
  • Pode ser utilizado em locais destinados a “não fumadores”.

 

Características do cigarro eletrónico

  • Simula o ato de fumar, por meio de um vapor criado por atomização que transforma a nicotina líquida em vapor;
  • Permite ter uma sensação de relaxamento e bem-estar tal como um cigarro convencional quando o cartucho contém nicotina;
  • Possibilidade de usar cartuchos sem nicotina, sendo este 100% saudável;
  • Totalmente inofensivo para as pessoas em redor;
  • Vários sabores e níveis de nicotina;
  • Reutilizável;
  • Custos muito inferiores quando comparados com os preços praticados com os cigarros convencionais.