Alguns especialistas em oftalmologia em conjunto com engenheiros químicos das Universidades Drexel e Case Western, dos Estados Unidos, estão a desenvolver um novo tipo de fibras sintéticas, de dimensões muito reduzidas, carregadas de proteínas e substâncias que poderão vir a combater variadas formas de cegueira.

Infelizmente, a ciência ainda não conseguiu encontrar a cura para a cegueira. Muitos estudos são realizados nesse sentido e um deles está a ser feito por engenheiros químicos e especialistas de oftalmologia, de Universidades dos Estados Unidos.

Macula do olhoSegundo eles, estas fibras sintéticas depois de serem implantadas na retina, por meio de cirurgia, fazem com que as proteínas, incorporadas nas fibras, comecem a eliminar o tecido danificado, enquanto que cápsulas de pequena dimensão vão libertando um factor de crescimento, que estimula o desenvolvimento das células estaminais.

As nanofibras poderão assim ajudar a reparar algumas retinopatias, como a degeneração macular e outros problemas que causam a cegueira ou perda de visão.

Estas células, por sua vez, crescem sobre as tais nanofibras, transformando-se em novos fotoreceptores, que vão dar lugar aos antigos fotoreceptores danificados, permitindo assim a cura de certos tipos de cegueira.